Facebook
RSS

A compra do WhatsApp pelo Facebook e o valor pago (19 bilhões de dólares) revela tendências que agradam muitos usuários e assustam outros tantos.

whatsapp-facebook

O que vemos é uma grande (e bota grande nisso) aposta da rede social em uma nova forma de interação que vem conquistando muitos e muitos adeptos. Segundo dados do BuzzFeed, em países como o Brasil, México e Espanha, 25% do tempo gasto em smartphones é utilizado no WhatsApp.

Se o Facebook é, atualmente, o principal mecanismo que permite uma grande exposição, o WhatsApp vem na “contra-mão” e defende uma comunicação mais reservada. O gosto cada vez maior dos internautas por privacidade revela a nova tendência de conversas em pequenos grupos, como se fossem amigos em uma mesa de bar. Alguns especialistas veem na compra do aplicativo, exatamente o reflexo dessa mudança profunda no comportamento.

O avanço do WhatsApp ao mesmo tempo que o Facebook enfrenta perda de popularidade, a necessidade de reconquistar o público adolescente que vem se afastando da rede social em busca de formatos de comunicação mais privados e a estratégia de neutralizar um possível concorrente são as principais razões que levaram à compra do WhatsApp.

Os fãs do Facebook temem que a rede social se esvazie assim como ocorreu com o Orkut. A curto prazo, essa preocupação não se justifica, afinal o Facebook não tem no momento um concorrente a sua altura.

E quando aparece um pretendente a se tornar concorrente, Zuckerberg vai lá e compra. Com 450 milhões de usuários ativos, mais de um milhão de novos usuários por dia e 72% de usuários ativos diariamente, o WhatsApp vinha se mostrando como um dos únicos reais concorrentes do Facebook. Agora não é mais.

CURTA NO FACEBOOK


Como podemos divulgar seu site:

  • Campanha de Links Patrocinados no Google Adwords
  • Otimização de site - SEO Otimização Site
  • Campanha de marketing nas redes sociais
  • Criação de site Otimizado - Desenvolvimento de site